Luke Cage, Assistimos a 1ª temporada


Assistimos Luke Cage e vamos falar um pouco sobre os altos e baixos da série.




Desde que foi anunciada a parceria entre Marvel e Netflix, o tema "heróis urbanos" foi a vertente que seria seguida e o primeiro a ter seu espaço dentro dessa parceria foi o Demônio de Hell's Kitchen, não tardou e o sucesso do demolidor garantiu não só mais 3 séries com maior envolvimento com também um crossover, onde veremos o Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro juntos, na produção Os Defensores.


O sucesso do Demolidor garantiu uma segunda temporada mesmo antes da estréia de Luke Cage, que seria a terceira etapa da produção e onde esperávamos continuações apenas depois dos Defensores



Chegamos então ao presente, depois das elogiadas temporadas anteriores, Luke Cage chega já com alguma responsabilidade de pelo menos se igualar as produções anteriores dessa parceria.




A série tem início com Mike Colter na pele do personagem-título após os eventos ocorridos em Jessica Jones, como a destruição do bar dele em Hell’s Kitchen, a trama mostra o personagem agora no Harlem, varrendo o chão da barbearia de Pop, e lavando pratos na boate Harlem Paradise – dois locais que acabam conectando o protagonista com os eventos que permeiam a série. A princípio, Cage se nega a intervir nos acontecimentos que rodeiam e afetam a comunidade local apesar de ter superforça e ser à prova de balas, mas acaba imergindo dos pés à cabeça nas tramoias ligadas às ações libidinosas da vereadora Mariah Stokes (Alfre Woodard) e do seu primo criminoso Cornell Stokes (Mahershala Ali).



Com uma proposta diferente de seus antecessores, Luke Cage, nos leva diretamente pras ruas e se destaca não só pelo seu personagem principal, a primeira metade dessa temporada tem antagonistas e personagens coadjuvantes que se destacam tanto ou até mais que o personagem título, saímos da Cozinha do inferno e somos apresentado ao Hallem. A segunda parte da série apresenta seu vilão e suas motivações, além do como Luke Cage está envolvido nisso.




Mas apesar da produção impecável (a fotografia do primeiro episódio dando o clima todo em amarelo, aos mesmos moldes do primeiro episódio de Jessica Jones com o roxo, acertou muito), e empenho dos atores, o que foi entregue foi bem abaixo do que esperava. Toda temporada fala do cara que tem super poderes mas não quer se envolver, até uma hora que as coisas mudam e ele é obrigado a tomar uma atitude, logo após vem a vingança. 



Luke Cage é bem intimista e seus dilemas vão crescendo e envolvendo todo Hallem, mas ao final ele não acrescenta muito ao universo que vem sendo criado, a minha impressão é de que a série começou e terminou sem adicionar muito ao que já foi criado e mostrado nas séries anteriores.




Se levarmos em consideração as outras produções da Marvel/Netflix ou apenas da Netflix como a recente The Get Down, Luke se arrasta e não envolve tanto, apesar das referências e pequenas ligações, o que se passou em Luke Cage parece não fazer diferença em comparação a Demolidor e Jessica Jones.
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário