[RESENHA] HQ - A TORRE NEGRA - NASCE O PISTOLEIRO - SUMA DE LETRAS



Considerada pelo próprio Stephen King como sendo sua obra máxima, A Torre Negra é um épico que conta com 8 volumes em livros e está no seu 3° arco nos quadrinhos.
A trama que envolve em um mundo pós-apocaliptíco, mágia, terror, ficção científica e várias referências ao cinema, quadrinhos e livros sempre mereceu uma adaptação visual, seja nos quadrinhos, cinema ou Tv.

Nos quadrinhos, o primeiro arco A Torre Negra, que conta com 5 volumes, fala do início da história de Roland Deschain e sua gênese como pistoleiro bem como sua busca pela Torre, nessa matéria vamos falar do primeiro volume.

O segundo arco A Torre Negra: O Pistoleiro, adapta para os quadrinhos o primeiro livro da série, enquanto o terceiro arco A Torre Negra: A Escolha dos três, ainda está sendo lançado nos Estados Unidos e adapta o terceiro livro.

A Editora Suma de Letras, que é quem publica os livros do King aqui no Brasil, apostou em trazer as adaptações para quadrinhos dessa mega saga.(E nós agradecemos muito isso)
As revistas são vendidas em seus volumes separadamentes e depois são apresentados na versão única em capa dura.
É essa que estão nas imagens.


 A versão americana foi concebida pela Marvel, com os ótimos roteiros de Peter David (Hulk, X-Factor), a linda arte de Jae Lee (Marvel Millennium: Quarteto Fantástico, Hulk & Coisa: Golpe Baixo) e as mágicas cores de Richard Isanove (1602, Wolverine Origens).


A Hq A Torre Negra - Nasce o pistoleiro, adapta e expande parte do quarto livro da série Mago e Vidro. Nela somos apresentados ao personagem de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam "seguiu adiante". A História conta a primeira missão de Roland e de seus amigos de infância, Alain Johns e Cuthbert Algood em um cenário de faroeste pós-apocalíptico, eles são enviados para cidade de Hambry para colher informações, mas lá eles enfrentam O Homem de Preto e os Caçadores do Grande Caixão.

Muito do que define Rolando como o adulto que viria a ser, tanto como pessoa como pistoleiro vem dessa aventura, é nela que descobrimos algumas das motivações do pistoleiros em sua busca pela Torre, outras motivações são apresentadas nas outras histórias que fecham esse arco.


Os roteiristas conseguem expandir a história apresentada no livro, mas se mantendo muito fiel ao material original, em conjunto com a arte, faz com que a história flua muito bem, aliás a arte sem dúvida é uma caso a parte, todos os traços e tons de cores usados fazem o leitor submergir no velho oeste e fazer parte desse mundo sombrio.

Robin Furth, que ficou responsável pela argumentação, conta ainda que o sucesso do projeto Nasce o Pistoleiro se deve, fundamentalmente, à liberdade dada por Stephen King para a adaptação dos textos. "Steve nos deu todo apoio. Recriar Roland foi um desafio; o personagem tem uma personalidade tão forte que é praticamente um ser humano. Eu cheguei até  sonhar com ele, uma ou duas vezes, e quase pude jurar que vi o cara parado atrás de mim enquanto escrevia! Mas sem brincadeiras; mesmo quando a gente escreve sobre alguém que conhece bem, cada pessoa enxerga o outro em perspectiva. Contanto que Stephen acredite no personagem que compomos, pra mim está tudo bem. Ficamos de dedos cruzados para que os fãs também acreditem."


Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário