[CRÍTICA] Star Wars: O Despertar da Força - SEM SPOILERS!






Olá pessoal!

Acabei de chegar do cinema e tive que vir correndo fazer esse post!

Essa é a crítica SEM SPOILERS, depois vamos fazer uma contando tudo sobre o filme, tudo mesmo!


Então, com todo o marketing que a Disney fez para o filme a expectativa foi imensa e tudo que fizeram foi praticamente nada em comparação ao que o filme proporciona.


Estava tudo lá, perseguições no espaço, batalha com blasters e sabres de luz momentos dramáticos e triunfantes.



Em suma, O Despertar da Força, entrega uma ótima continuação tanto para quem já curte Star Wars a vários anos quanto para quem não conhece muito, ao mesmo tempo que é construído um imenso universo ao redor da mitologia original.

Muitos podem pensar que o filme é feito para fãs antigos, com heróis clássicos, revisitando temas antigos e cenas que lembram o filme de 77, mas a equipe de JJ Abrams e companhia brinca com os elementos antigos e consegue "despertar a força" nos novos espectadores, o filme não se prende aos anteriores e trás muita coisa nova.


O Primeiro filme a contar uma sequencia desde 1983, criou uma expectativa gigante em muita gente, sejam fãs novos e antigos ou pessoas que conheciam apenas os personagens por fazerem parte da cultura pop.

Dessa fez sobre o comando de J.J. Abrams, responsável pelo reavivamento no cinema de franquias como Star Trek (Jornada nas Estrelas) e Missão Impossível (o primeiro filme de Abrams como diretor foi o 3° filme da franquia), ele ainda tem no currículo séries como Lost e Fringe.

JJ entrega um filme que tem tudo para se tornar um clássico. O que vemos na tela É Star wars, temos toda a aventura que vimos na primeira trilogia voltar aqui, aliás o filme tem todo o tom do episódio IV - Uma nova esperança.

A saga se atualiza de forma organica, nada é forçado, a galáxia agora é regida pela repúlica mas os remanescentes do Império ainda tentam retomar o poder, agora na figura da Primeira Ordem.

A presença dos personagens da trilogia clássica é pontual, uns aparecendo mais que outros. Vemos Han, Leia, Luke, Chewe, C3-PO, R2-D2, mas eles complementos a história.

Com toda a expectativa gerada pelos trailers, linhas de brinquedos e rumores criados pelos fãs, a chande de uma decepção em algum momento é muito grande, determinados personagens, como exemplo o Kylo Ren, que foi pintado com um vilão maior que Vader e bem mais cruel nos trailers, mas ainda é um personagem em construção, há o lado sombrio, contudo o grande vilão ainda deve ser despertado, seu rito de passagem definitivo para o lado negro, acho que vai ficar marcado como dos atos mais marcantes em toda saga.

Por mais que se pareça em tom com Uma nova esperança, o filme não se resolve sozinho e deixa muitas perguntas sem resposta, fato que esperávamos se tratando de uma trilogia.

Da mesma forma que Harrison Ford, Carrie Fisher e Mark Hamill fizeram décadas atrás, os personagens principais desse ato, Boyega e Ridley são o fio condutor da aventura, com um carisma e uma química que contagiam. Kylo, consegue ser menos travado fisicamente e trás o lado escuro muito mais voraz que Vader, unindo isso a sua altura e um sabre de luz sucateado uma figura realmente ameaçadora. 
Oscar Isaac dá o ar de Han Solo arrogante e engraçado como o piloto rebelde, Gwendoline Chrustie, a Brienne de Game of Thrones, que interpreta a Capitã Phasma é um dos personagens menos aproveitados, ela é uma ameaça, mas pouco se explica (possívelmente será melhor aproveitada nos próximos filmes) e o droide do momento, BB-8 literalmente rouba a cena, um personagem sem expressão que tem uma atuação bem melhor que muitos atores e atrizes, por ai!

É vibrante a reintrodução dos personagens clássicos.

Ford, enrugado e cansado, traz um Han solo mais adaptado e maduro que o contrabandista que conhecemos. Fisher é a Léia que nos lembramos uma líder sagaz, e Hamill atende o que o filme pede dele.


Abrams merece os elogios que recebeu até agora por trazer um elenco impecável juntos. 


Mas talvez ainda mais para cenas de ação que combinam lindamente violência com impacto emocional, para não mencionar os efeitos visuais de alto nível, os efeitos sonoros, misturados com uma fascinante coreografia da luta, vende facil os golpes de sabres de luz e blasters. 





Classificado PG-13, não há nada horrível demais para os jovens. 

Ao contrário dos prequels, a diversão nunca é esquecida em "A Força desperta", o filme não perde o ritmo em nenhum instante, não enrola e entrega um produto ainda melhor do que esperava.


Star Wars: O Despertar da Força é divertido, sem dúvida é um dos melhores filmes do ano e um dos melhores Star Wars que o cinema já viu.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.