Original Netflix: The OA



A Netflix entra na reta final de 2016 entregando mais uma série original que deve repercutir muito. The OA, estreou dia 16 de Dezembro trazendo muito mistério tanto em seu enredo quanto na própria divulgação da série. Não ficamos sabendo muito sobre o que nos aguardaria, pra resolver esse mistério só assistindo para saber.

The OA foi criado pela dupla Brit Marling, conhecida do cinema independente, e Zal Batmanglij, que entregou uma mistura de drama, suspense e ficção científica. Não há como não lembrar de outro material original da netflix que foi lançado esse ano com os mesmos moldes, mas as semelhanças com Stranger Things param por aqui. 


The OA é emocionante e cativante, a cada episódio queremos entender mais sobre Prairie (Brit Marling), uma jovem que retorna para casa após desaparecer por 11 anos, além disso um fato intrigante acontece em seu retorno, Praire era cega, mas volta para casa curada. Para reencontrar uma pessoa que fez parte de sua vida nesses onze anos ela precisará da ajuda de algumas pessoas e é nisso que a trama se desenrola, Prairie precisa revisitar os acontecimentos do tempo que passou fora para conseguir chegar ao seu objetivo.



A série mistura drama, fantasia e filosofia, trata de assuntos delicados e nos faz ter outros pontos de vista em relação a assuntos como sequestro, carcere privado, autoconhecimento e fé.





Não acredito que ela seja tão popular quanto Stranger Things, mas certamente é uma ótima história. Cheia de camadas, nos leva por várias linhas de pensamento tentando descobrir as respostas para as brechas da trama. Prairie de início parece lunática, mas aos poucos vai convencendo um grupo de pessoas, que serve de reflexo do telespectador, de que há algo mais em seu jeito, ao terminar o primeiro episódio mais e mais perguntas são criadas, a quase uma hora do episódio inaugural passa despercebido tamanha foi a vontade de saber mais.



A Produção tem o tom de cinema independente, sem muitas amarras tem um roteiro livre para tomar seu caminho e contar sua história, mesmo que ela seja bem conceitual.

Mas nem tudo são flores, seu tom surreal e o caminho que que é tomado para se chegar ao final pode desagradar alguns e revelar o menor dos acontecimentos pode estragar a experiência, por isso você tem que assistir pra conferir.


Se você estava querendo saber se vale a pena assistir, minha dica é sim. São apenas 8 episódios, com uma carga dramática muito boa, The OA é daquelas series que, depois que terminamos ficamos paramos pra refletir e temos vontade de ver novamente pra pegar aquele detalhe que passou.






Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário