Superman Lives, filme com Tim Burton e Nicolas Cage



Em um distante final dos anos 90, a quase 20 anos atrás, o diretor Tim  Burton, que trouxe batman às telas do cinema com um tom sombrio e elogiado na época, tinha a tarefa de reviver o Superman nos cinemas. Superman Lives foi o projeto que se encarregaria disso, muito controverso o filme não chegou a ser filmado e parou durante a produção, nele veríamos Nicolas Cage no papel do homem de aço e teríamos a direção de Tim Burton, mas o grande nome do projeto revelou-se algum tempo depois, sendo Kevin Smith.

Durante algum tempo essa informação pareceu irreal, em uma época que a internet não era uma grande ferramente de divulgação desses "boatos", o filme sempre foi tratado como lenda urbana. Quase 20 anos depois temos várias informações, vídeos e depoimentos dos envolvidos no projeto que contam como esse filme quase ganhou vida.

Em 1996 a Warner Bros. decidiu novamente trazer Superman as telas do cinema. O roteirista escolhido foi Kevin Smith que, apesar de ainda não ser muito cultuado entre os cinéfilos, se declarava uma grande fã do personagem. 




Então em 1997, Kevin entregou um roteiro a Warner, que foi recusado por Tim Burton e Jon peters, diretor e produtor dos filmes do Batman, principalmente Burton que achou o roteiro muito fiel aos quadrinhos, nesse roteiro, Kevin teve como inspiração duas grandes histórias do Super, "A Morte do Superman e O Retorno do Superman".

Tim Burton e Jon Petes estavam determinados a apresentar um Super-Homem muito diferente, chegando a ser irreconhecível aos olhos de qualquer fã. Peters considerava o uniforme azul e vermelho, o mais tradicional e emblemático da história dos quadrinhos, muito alegre, muito afeminado, e preferia trajes negros. Também achava que o herói não deveria ter a habilidade de voar, pois detestara as cenas de vôo nos filmes anteriores, não importando se é essa fosse uma das habilidades mais conhecidas do herói, em vez de voar, o Super-Homem teria um Supermóvel. Burton preferia o grande S estilizado da fase do herói com poderes elétricos (bastente parecido com a fase do personagem nos quadrinhos durante 1997), e apresentou vários planos para o uniforme, alguns inacreditáveis, como uma roupa transparente que deixaria visíveis os órgãos internos do Super, e uma armadura negra de aparência alienígena.

Então reescreveram o roteiro de Smith para algo mais sombrio e condizente com suas opiniões.





No roteiro de Kevin, o sistema de inteligência artificial Brainiac chegou a Krypton com o aparente propósito de policiar o planeta. Acontece que o vilão estava interessado em recolher toda a cultura e conhecimento do planeta para si, com o objetivo de criar um corpo próprio. O cientista Jor-El e sua esposa Lara descobrem este plano graças ao computador que haviam desenvolvido, o Erradicador, e percebem que isto levara ao fim de Krypton. Acontece que Brainiac vê no computador de ambos uma fonte inesgotável de força, e começa a absorver sua energia também.



Contudo o cataclismo do planeta Krypton começa antes do que era esperado, o que deixa Brainiac sem o corpo completamente formado e também sem o computador de Jor-El. Já o cientista, para poder salvar a vida do filho, transforma o Erradicador em uma nave espacial, coloca lá seu filho Kal-El e o mandou para a Terra. Quando chega ao planeta azul, o bebê é adotado pelos Kents, cresce e desenvolve poderes superiores ao de qualquer humano. Já adulto, se transforma no maior defensor da Terra: o Super-Homem.

Após o fim de Krypton, Brainiac se vê obrigado a vagar pelo espaço e absorver a energia de pequenas naves para poder manter uma misera forma antopomórfica. Isso até que, um dia, a nave onde Brainiac esta parasitando recebe uma mensagem de Lex Luthor, pedindo ajuda para combater o último filho de Krypton.


Em Metrópolis, o milionário Luthor se empenha em aprovar, junto ao Congresso, o Wertham Act (nome em “homenagem” a Fredric Wertham, autor de Seduction of the Innocent), projeto para diminuir a atuação de vigilantes uniformizados. Como a governadora Bree era contra o projeto, Lex Luthor manda o Pistoleiro, velho inimigo do Batman, mata-la. Quando o vilão vai matar a governadora, eis que surge então Superman pela primeira vez no filme.


Após o atentado, Brainiac e Luthor finalmente se encontram e traçam um plano para acabar com o herói. O robô espacial então modifica o uso de uma estação espacial da LexCorp, que iria captar energia do Sol para comercializa-la, e faz com que ela comece a bloquear a luz do astro. Sendo assim, Superman se vê obrigado a enfrentar Apocalipse sem sua fonte de energia, e acaba morrendo.


O funeral do Homem de Aço mobiliza toda a cidade. Batman (teriamos aqui uma participação de Michael Keaton, reprisando o papel)faz uma aparição especial, emitindo da batcaverna uma mensagem de alento a população de Metrópolis. Surgem então, nos céus da cidade, uma imensa frota alienígena, pronta pra invadir a Terra. Lex Luthor diz a população que Brainiac era mestre do falecido Superman e o único capaz de derrotar a armada extraterrestre, que não passava de uma projeção criada pelos dois.


Graças a hábil eloquência dos vilões, todos são levados a crer que apenas o bloqueio dos raios solares salvará o planeta. Luthor se transforma no único fornecedor de energia do mundo e Brainiac em herói. Já na Fortaleza da Solidão, Erradicador desperta com a morte de Kal-El e também detecta a presença da inteligência artificial na Terra. Programado por Jor-El para defender a vida do filho, o computador transporta o corpo do Superman para lá, lhe devolvendo a vida.


Enquanto isso, Lois Lane e Jimmy Olsen, do Planeta Diário, investigam as operações da LexCorp, dispostos a expor a fraude para todos.


Renascido e desperto da Animação Suspensa onde foi imposto sem Luz Solar, Superman parte para Metrópolis, Após destruir a Estação espacial, onde irá confrontar seus adversários. Ele não sabe que Luthor sequestrou Lois e Jimmy, que estavam Investigando Brainiac. Após confrontar os Capangas de Luthor e prender o Vilão, O Herói é atacado por Brainiac, que conseguiu absorver o Erradicador. 


Enquanto o Andróide e o super confrontan-se, Lois e Jimmy Fogem e encontram L-ron, que é reporgramado, libertando-se do Vírus que Brainiac usou para cooptá-lo. Assim, O Robô explica que Brainiac só pode ser destruído se seu Corpo Andróide sobrecarregar-se.


Usando o Foguete que o Trouxe á Terra, Superman consegue explodir Brainiac, que se teleporta para sua Nave, lançando uma Aranha Gigante Thanagariana sobre Metrópolis. Após derrotar o Monstro, Superman tem um Último Confronto com Brainiac, que é destruído.


Luthor é preso e todos os mal-entendidos se desfazem. L-Ron começa a Morar na Fortaleza, onde Superman constrói um Corpo Andróide para a Energia do Erradicador, que nunca pode ser destruída. Ele nem Imagina que o Andróide foi infectado por um Vírus Brainiac e enlouqueceu, achando que sua verdadeira Missão é transformar a Terra em uma Nova Krypton.


O roteiro agradaria em cheio aos fãs, pois tinha vários elementos das histórias em quadrinhos, mas sempre trazendo algo de novo e melhorado. 

Acontece que John Peters procurou fazer várias alterações, como não querer que o personagem voasse, pois achava que o efeito de voo era muito ruim nos outros filmes. A saída encontrada por Kevin Smith foi colocar sempre um estrondo e uma mancha azul e vermelha quando o Superman voasse. Smith tentou manter a história a mais próxima possível do original.

No novo roteiro, Brainiac era cria de Jor-El, que renegou o computador após o nascimento de Kal-El. O cérebro eletrônico então destruiu Krypton por ressentimento, e Jor-El se viu obrigado a exilar seu filho na Terra. Anos depois, Brainiac chegou aqui e se fundiu a Lex Luthor, criando a amalgama Lexiac. 




Apesar de ser um nome estranho para o papel Cage foi um dos que mais criticaram as mudanças no roteiro propostas por Burton e Peters. Ambos queriam até mesmo outro ator para interpretar o Superman, Sean Penn, pelos seus olhos de assassino e o carisma de um animal enjaulado; qualidades inerentes ao último kryptoniano, sob a ótica do produtor, ele acreditava que o herói deveria passar a imagem de alguém que se sente estranho e ameaçado pelo mundo.

Mas este e outros roteiros apresentados posteriormente com pequenas mudanças foram considerados ridículos pelos leitores dos gibis, foram sendo recusados pela Warner, que a essa altura já queria colocar um ponto final no projeto.








Abaixo temos um vídeo de teste do uniforme com luzes:



Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Postar um comentário
Obrigado pelo seu comentário